Buscar

Os bastidores do futebol



A produção de conteúdo exclusiva na indústria esportiva deixou de ser uma novidade, para se tornar uma fonte de receita muito explorada e consolidada. Barcelona, Juventus, Manchester City, Tottenham, Boca Juniors e Corinthians são alguns clubes que já aderiram a essa tendência.


Cada vez mais o futebol tem deixado de ser um mundo à parte das novas tendências, sobretudo quando se fala em universo digital. Hoje, principalmente em um contexto de pandemia, os clubes precisam estar bastante próximos de seus torcedores, engajando-os constantemente. Para isso, alguns times, em parceria com plataformas de criação de conteúdo, foram no limite de sua intimidade com o objetivo de estreitar os laços com seus torcedores.


Netflix e Amazon Prime Video são dois gigantes serviços de streaming que aderiram à essa ideia e produziram o que hoje são os exemplos de séries de bastidores que estão disponíveis para se assistir. A Netflix é atualmente responsável pelas séries envolvendo os seguintes clubes: Barcelona, Juventus, Boca Juniors e Sunderland, este último com 2 temporadas. Vale ressaltar que, além de clubes, a plataforma de streaming tem produzido documentários sobre jogadores, como Pelé, Maradona, Carlos Tevez, Antoine Griezmann e Nicolas Anelka.


A Amazon, por sua vez, já está até mais consolidada nesse nicho de conteúdo, com a extensa “franquia” All Or Nothing, que mostra os bastidores de grandes esquadrões, não só do futebol. Tottenham, Manchester City, Arizona Cardinals (NFL) e até mesmo a Seleção brasileira de futebol já tiveram suas rotinas expostas para o grande público que, nos próximos anos, deve poder acompanhar as intimidades de diversos outros clubes e seleções. À parte do All or Nothing, a produtora também realizou conteúdos documentais sobre o Borussia Dortmund, a seleção sub-21 da Espanha e também do zagueiro Sergio Ramos.


Neste ano, depois de se tornar tendência lá fora, esse tipo de conteúdo finalmente aterrizou no Campeonato Brasileiro, com a série “Acesso Total”, que mostra os bastidores do Corinthians na temporada 2020/21. Ao que tudo indica, a série produzida pelo Sportv, que fez bastante sucesso e gerou bom retorno para o Grupo Globo, seguirá os passos de All or Nothing e se tornará futuramente uma franquia, com a realização de conteúdos de outros clubes do Brasil.


Em todos esses casos citados, a tônica da narrativa é bastante intimista, com enfoque no dia a dia dos clubes, cenas de vestiário, discursos dos técnicos e um pouco da vida pessoal dos jogadores. Todos esses aspectos são um prato cheio para o espectador que tem curiosidade de saber mais sobre o funcionamento dos times e também o que é feito e falado internamente por atletas, comissão técnica e diretoria. Nesse sentido, de fato o torcedor se sente mais próximo do seu clube do coração, despertando uma forte sensação de pertencimento, o que é fundamental para a manutenção de seu engajamento para com a instituição.


Entretanto, se os fãs enxergam esse novo movimento como algo positivo, quem protagoniza esses conteúdos ainda sente um grande receio. Pelo fato de o ambiente do futebol sempre ter sido caracterizado por uma baixa exposição, essa guinada para uma maior liberalização naturalmente planta na mente dos jogadores e comissões técnicas uma ideia de remoção de sua privacidade.


Um claro exemplo disso é do atual técnico do Liverpool, Jurgen Klopp, que em 2018 vetou a realização de uma versão de All Or Nothing com os Reds. À época, o treinador afirmou que a exposição de seus atletas não faria bem ao time, além de ter declarado que o comportamento dos integrantes de seu grupo possivelmente mudaria frente às câmeras. Vale destacar que o projeto já tinha recebido o aval da diretoria e do dono do Liverpool, mas esbarrou na negativa do técnico alemão.


Embora ainda sejam tratadas como novidade por alguns, as produções documentais esportivas já estão bastante consolidadas no cenário da criação de conteúdo. É certo que ainda existem várias ressalvas por parte de atletas, comissões técnicas e diretorias, que temem pela perda da privacidade no ambiente de trabalho, porém é preciso destacar o lado positivo dessa tendência. Ganho financeiro, aumento no engajamento e expansão da “marca” são apenas alguns dos benefícios para os clubes. Naturalmente isso se refletirá em retorno para dentro dos gramados, onde provavelmente as câmeras estarão... Continuando a registrar tudo.


Por Renato Salzstein



91 visualizações0 comentário
Cópia_de_LiGE_Logos-11.png